"Duas adesões foram estratégicas para a criação da Universidade de Brasília: As de Victor Nunes Leal, meu colega de faculdade, que era o chefe da Casa Civil de JK, e a de Cyro dos Anjos, meu conterrâneo, que era o sub-chefe. Os dois começaram a trabalhar JK para a idéia, encontrando resistências. Ressonâncias, creio eu, das implicâncias de Israel Pinheiro, edificador de Brasília, com a obsessão de criar Brasília sem universidades e sem fábricas para evitar agitações e greves junto à cúpula do poder".

"Acabei entrando, eu mesmo, no assunto com JK, diretamente. Foi um desastre. Meu entusiasmo era tão grande e falei de uma forma tão atabalhoada que o assustei. Fui mais feliz quando voltei ao assunto de forma tranqüila, depois de volta de JK da viagem aos Estados Unidos, onde Victor mostrou a ele que os pais fundadores daquela Nação tiveram a preocupação fundamental ali implantar universidades".

Do Livro "Confissões" de Darcy Ribeiro.